Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Governo e Sindicatos não chegam a acordo

por A Formiga, em 25.11.08

Negociações Salariais 2009

 

O SINTAP esteve hoje reunido com o Governo, no Ministério das Finanças, para a última reunião respeitante às negociações salariais para 2009 para o sector da Administração Pública.

 

Uma reunião que serviu apenas para o Secretário de Estado da Administração Pública reiterar a inflexibilidade do Governo em matéria salarial, incluindo no que diz respeito aos aumentos das pensões, assunto ao qual o SINTAP solicitou especial tratamento dadas as dificuldades que atravessam os trabalhadores aposentados.

 

Assim, e face à perda de poder de compra que os trabalhadores da Administração Pública sofreram nos últimos 10 anos, não há qualquer hipótese de chegar a acordo quanto aos 2,9% de aumento salarial propostos pelo Governo.

No entanto, e visto que o SINTAP fará valer o direito à negociação suplementar, reservará para essa ocasião a sua final e definitiva posição relativamente a estas e outras matérias.

 

Apesar de ser praticamente garantida a ausência de acordo em matéria salarial, o SINTAP espera que dessa ronda negocial possam sair ganhos efectivos para os trabalhadores no que diz respeito a outras questões como:

- a utilização o mais alargada possível dos refeitórios do Estado;

- num cenário de convergência com o regime geral, esperamos que sejam definidos claramente os requisitos para a pré-aposentação bem como outros aspectos positivos desse regime ainda não adoptados;

- a necessidade de que o SIADAP seja aplicado em todos os sectores da Administração Pública, não admitindo o SINTAP que este venham a ser adoptados tratamentos diferenciados que violem princípios básicos do sistema já em funcionamento.

 

O SINTAP não rejeita assim a hipótese de que, não obstante os ganhos que possam a vir a ser obtidos naquelas matérias, os trabalhadores possam vir a manifestar a sua insatisfação perante o facto de as crescentes promessas do Executivo não resultarem em realidade de facto.