Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A formiga no carreiro

A formiga no carreiro

05.Ago.09

Integração na Guarda Nacional Republicana é a solução proposta pelo Governo

 

Guardas Florestais
 
O SINTAP - UGT reuniu hoje com o Secretário de Estado da Administração Interna no Ministério da Administração Interna, em Lisboa, para mais uma ronda negocial sobre a carreira dos Guardas Florestais.
 
Em resposta às solicitações do SINTAP - UGT, o membro do Governo apresentou um documento de trabalho que procura encontrar soluções para os Guardas Florestais, fazendo justiça, como reconheceu o Secretário de Estado.
 
O SINTAP - UGT lembra que estes trabalhadores estão numa situação delicada, uma vez que, desde a extinção da sua carreira em 2006, têm desempenhado funções no Serviço de Protecção da Natureza e do Ambiente da Guarda Nacional Republicana, desempenhando as mesmas funções que os militares mas não auferindo os suplementos remuneratórios correspondentes.
 
Para suprir esta e outras situações, tais como o fardamento ou a formação, o Secretário de Estado apresentou uma proposta de diploma que propõe a integração dos Guardas Florestais no corpo da GNR.
 
Esta opção vai de encontro às pretensões defendidas pelos trabalhadores e pelo SINTAP - UGT noutras reuniões e permite que os actuais funcionários transitem para a categoria profissional de Guardas, após a frequência de um estágio, e que integrem a carreira da Guarda Nacional Republicana.
 
Acautelada está igualmente a antiguidade na categoria da carreira florestal para efeitos de progressão na carreira.
 
Pese embora melhor análise, a integração é proposta nos seguintes termos:
 
Mestre florestal principal é integrado no posto de Cabo;
Mestre florestal é integrado no posto de Guarda principal;
Guarda florestal é integrado no posto de Guarda.
 
 
O SINTAP - UGT considera positivos os princípios apresentados neste documento de trabalho e posterior proposta de diploma uma vez que permite a integração destes trabalhadores na GNR, possibilitando-lhe uma valorização na carreira. A opção pela integração na GNR trará consigo todos os direitos e deveres decorrentes da entrada na estrutura militar e ficarão garantidos os suplementos de escala, patrulha e de serviço de segurança.
 
O SINTAP - UGT considera igualmente positivo a opção voluntária pela integração na carreira militar.
 
O SINTAP - UGT tem algumas dúvidas sobre a duração do estágio, que não está descrita no documento apresentado e pretende que sejam consagrados os direitos a todos aqueles que não desejem a integração.
Entende que não podem ser prejudicados no futuro todos aqueles que pretendam manter-se numa carreira subsistente.
 
O Governo pretende que este processo esteja concluído ainda nesta legislatura, mas informou que ainda necessita da anuência do Ministério das Finanças.