Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A formiga no carreiro

No Governo de António Costa, Administração Pública estava sob alçada da ministra da Presidência. Montenegro coloca responsabilidade em Miranda Sarmento.

A pasta da Administração Pública vai voltar a ficar a cargo do Ministério das Finanças, como já tinha acontecido antes dos Governos de António Costa. Joaquim Miranda Sarmento ficará, assim, encarregue de gerir a Função Pública, após uma campanha eleitoral marcada por várias promessas a grupos profissionais, como os professores.

No último Executivo de Costa, era a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, que era responsável pela pasta da Administração Pública, com o apoio da secretária de Estado Inês Ramires. Antes disso, chegou a existir um Ministério, dirigido por Alexandra Leitão, que era responsável pela Modernização do Estado e da Administração Pública.

Mas a verdade é que, nas orgânicas anteriores, a responsabilidade desta área já era tradicionalmente das Finanças. Nos Governos anteriores ao de Costa, existiram sempre secretários de Estado da Administração Pública sob a tutela do Ministério das Finanças, isto até aos Executivos de António Guterres.

Agora, Luís Montenegro decide voltar a colocar a Administração Pública a cargo das Finanças, após uma campanha marcada pela discussão sobre a valorização de alguns grupos profissionais da Função Pública. Em causa estão setores como os professores, as forças de segurança, os profissionais de saúde e os oficiais de justiça, sendo que a oposição já se mostrou disponível a viabilizar um Orçamento retificativo caso seja necessário para permitir a valorização destes profissionais até ao verão.

Pedro Nuno Santos sinalizou que para concretizar estes aumentos, “pode ser necessário aumentar os limites de despesa”, pelo que o PS está disponível para viabilizar um Orçamento retificativo – apenas “limitado às matérias sobre as quais existe amplo consenso”.

No entanto, pode não ser preciso um retificativo, já que Fernando Medina deixou um excedente de 1,2% do PIB ao Governo de Montenegro. Apesar desta margem, têm existido alguns alertas, nomeadamente de economistas mas também do próprio Medina e de Mário Centeno, relativamente às pressões que existem sobre a despesa e a necessidade de acautelar crises futuras.

No programa da Aliança Democrática, uma das propostas é a recuperação gradual do tempo de serviço dos professores, ao longo de cinco anos e à razão de 20% ao ano. O programa previa um horizonte temporal de 2025 a 2028, com um custo de 60 milhões ao ano, totalizando os 240 milhões.

José Abraão, da Federação de Sindicatos da Administração Pública e de Entidades com Fins (Fesap), indica ao ECO que existem questões como a equidade que podem ser mais “complicadas” de negociar quando esta área fica numa pasta económica. No entanto, apesar disso, a Fesap “acredita que com um ministro forte”, continua a ter uma “grande expectativa para obter negociação e resultados”, até porque o “esforço” que já foi feito “não pode ser para deitar fora”.

(Notícia atualizada às 15h30 com reação da Fesap)

Fonte ECO

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2007
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D