Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A formiga no carreiro

A formiga no carreiro

19.Fev.08

Eleições 2009 – Promessas, promessas.

Abrimos aqui um novo espaço chamado Eleições 2009|Promessas, promessas.
Pretendemos compilar as promessas eleitorais para a Administração Pública dos principais candidatos a primeiro-ministro. Começamos bem com o aspirante a governante Menezes:

Menezes promete não fechar serviços públicos

Líder do PSD admite romper acordos com o PS

Os motores para as eleições legislativas de 2009 já estão a aquecer: "Não fechará mais nenhum serviço público durante uma legislatura no interior do país" prometeu Luís Filipe Menezes , durante um jantar com militantes em Alvaiázere .

Nesta sua primeira clara promessa de campanha para as legislativas do próximo ano o líder do PSD frisou que "manter o Estado social é difícil, mas - garantiu - connosco não haverá este ataque ao Serviço Nacional de Saúde".

O líder dos sociais-democratas acusou o PS de depois "de atacar os serviços de segurança, educação, finanças e saúde se preparar para retirar o último elo de soberania que são os tribunais e as comarcas".

Filipe Menezes promete, assim, chumbar o novo mapa judiciário caso o Governo não apresente a lista de juízos a encerrar.

"Se não nos der essa lista não há mais Pacto de Justiça, não há mais acordos", disse, responsabilizando o executivo do PS pelo "desgoverno" do país nos últimos anos.

Ribau Esteves , secretário-geral do PSD referiu ao DN que na reunião da passada semana entre o titular da Justiça, Alberto Costa e o vice-presidente do PSD Rui Gomes da Silva, o executivo socialista não deu efectivamente nenhum mapa judiciário concreto. Uma situação que Ribau Esteves considera ser uma tentativa de se pedir "um cheque em branco" ao PSD, o que , frisa, "o partido nunca aceitará".

Ricardo Rodrigues, vice-presidente a da bancada do PS, referiu por seu turno ao DN que " se o PSD está à espera que o PS lhe entregue uma lista com a previsão dos tribunais a serem encerrados isso não acontecerá pela simples razão de que não será encerrado nenhum tribunal".

O deputado o socialista considera que "o líder do PSD tem de estar mal informado para fazer este tipo de declarações". Ricardo Rodrigues diz mesmo que Luís Filipe Menezes "está desconfiando de uma coisa que não existe".

Sobre a hipóteses do PSD vir a romper o Pacto da Justiça Ricardo Rodrigues disse que "nessa matéria o líder do PSD já tem proferido as mais diferentes posições". Pelo que refere não se "conseguir avaliar" quais são as reais intenções dos sociais-democratas neste domínio.

Já quanto aos prazos para se concretizar a reforma do mapa judiciário, Ricardo Rodrigues considera ser útil ter o processo encerrado até finais de Fevereiro para a matéria ser discutida e aprovada na Assembleia da República em Março, por forma a poder estar plenamente em funcionamento a 1 de Setembro de 2008, ou seja, quando arrancar o próximo ano judicial. Já quanto às alterações quer da lei eleitoral autárquica, quer da lei eleitoral para as legislativas, Ribau Esteves defende que estas devem ser concretizadas em tempo útil face ao aproximar do calendário de 2009. Com LUSA

Fonte Diário de Notícia, edição de 18 de Feveriro de 2008. Ligação para a notícia (aqui)