Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A formiga no carreiro

A formiga no carreiro

21.Mar.13

cada 10 mil rescisões custam 325 milhões

Trabalhadores do universo visado pelo plano do Governo têm salário médio de 867 euros e antiguidade a rondar os 25 anos

 

O Estado vai gastar em média 325 milhões de euros em indemnizações por cada 10 mil funcionários públicos que aceitem aderir ao plano de rescisões amigáveis. Se forem 20 mil, o gasto duplica, para 650 milhões.

As contas são do «Dinheiro Vivo», segundo o qual o universo de funcionários visado pelo plano do Governo (assistentes técnicos e operacionais) tem uma remuneração mensal média de 867 euros e uma antiguidade a rondar os 25 anos.

Com base nestes pressupostos, e tendo em conta que o Governo está disposto a pagar 1,5 salários de indemnização por cada ano de trabalho, cada trabalhador que aceitar sair, receberá, em média, cada uma compensação da ordem dos 32 mil euros, sendo este montante mais reduzido no caso dos assistentes operacionais e ligeiramente superior no dos assistentes técnicos.

Nas carreiras em que as rescisões vão ser propostas estão cerca de 213.700 pessoas, mas o Governo estima que a maioria continuará a ser necessária na Administração Pública. Não se sabe quantas pessoas poderão aderir ao plano de rescisões amigáveis, nem como vai o Governo financiar as indemnizações a pagar aos que o fizerem.

O secretário de Estado da Administração Pública, Hélder Rosalino, reuniu-se ontem com os sindicatos do setor. No final do encontro, os sindicatos demonstraram preocupações com eventuais pressões sobre os trabalhadores para aderirem ao plano. O governanteprometeu que não será assim.