Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A formiga no carreiro

A formiga no carreiro

29.Abr.13

Estado quer 124 chefes

O Estado quer contratar 124 dirigentes até junho, de acordo com a calendarização da Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração Pública.


Neste momento, por exemplo, decorrem concursos para chefes da Direção da Administração e do Emprego Público, um diretor-geral e dois subdiretores.

Há vagas para cargos dirigentes na administração central mas também para institutos públicos e fundações. No atual concurso, o Estado propõe para o diretor-geral uma remuneração de 3734 euros mais 778 euros de despesas de representação. Já para os subdiretores-gerais do Emprego Público, o valor é de 3173 euros mais 583 euros de despesas de representação.

Brevemente, também estarão disponíveis vários concursos para diretores-gerais dos recursos naturais, da Política de Justiça e para diversas direções regionais de cultura.


Em regra, há candidatos interessados a cada lugar. Em 2012, a média de candidatos foi de 13 por vaga. Mas, mais recentemente, um concurso ficou deserto: ninguém se candidatou à presidência do Instituto Português do Mar e da Atmosfera. O concurso deverá reabrir e o Estado apela "à cidadania" dos especialistas.