Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A formiga no carreiro

A formiga no carreiro

27.Set.13

Fesap considera urgente que Tribunal Constitucional resolva "trapalhada" do governo sobre 40 horas de trabalho

A Federação Sindical da Administração Pública (Fesap) afirma que alguns municípios já informaram os seus trabalhadores de que só vão conseguir aplicar horários de 40 horas semanais depois das eleições autárquicas do próximo domingo.

Ouvido pela Antena1, o dirigente da Fesap José Abraão explica que há municípios que dizem que ainda não conseguiram ouvir os sindicatos e por isso a legislação não vai entrar já em vigor, mas há outros que referem que a matéria vai ser tratada pelos novos executivos camarários.

“É urgente que o Tribunal Constitucional se manifeste em relação a esta matéria com vista a resolver esta trapalhada que o governo lançou sobre os serviços públicos e os trabalhadores”, defende.

 


 

Função Pública: Sintap duvida da aplicação imediata das 40 horas semanais

 

A menos de 24 horas do início da aplicação do horário de trabalho 40 horas semanais na Função Pública, o Sintap garante que na maior parte dos serviços a lei não entra em vigor.

Faltam menos de 24 horas para a entrada em vigor da aplicação das 40 horas semanais de trabalho, na Função Pública.

Apesar das iniciativas dos sindicatos, uma delas bem sucedida, para travar a lei, o Governo viu ontem ser aceite, no Tribunal Administrativo de Lisboa, uma resolução fundamenta de interesse público, que ultrapassa as providências cautelares dos sindicatos.

Mas a lei pode não ser aplicada, na prática, nos próximos dias.É a convição demonstrada esta manhã, na TSF, pelo dirigente José Abraão, do Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Pública (Sintap).

Mesmo que entre em vigor, entretanto, o dirigente sindical lembra que pode não ser visível para os utentes este alargamento do horário.



Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.