Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A formiga no carreiro

A formiga no carreiro

08.Nov.13

Trabalhadores pressionam Governo com grande adesão

 

Greve Geral da Administração Pública

 

Através de uma forte participação na Greve convocada para hoje, os trabalhadores da Administração Pública deram ao Governo um sinal forte e consistente de que estão dispostos a lutar até às últimas consequências pela defesa dos seus direitos.

 

Com efeito, e numa altura em que está em discussão parlamentar na especialidade mais um Orçamento do Estado que penaliza de forma inaceitável e injusta os trabalhadores e pensionistas da Administração Pública, a voz dos trabalhadores não pode ser de maneira nenhuma ignorada, devendo o Governo, de uma vez por todas, sentar-se à mesa com os sindicatos e, em conjunto com estes, encontrar soluções que protejam, não só os trabalhadores e o seus direitos, mas também o Estado Social e os Serviços Públicos como um bens em si mesmos e que devem ser preservados como factores de desenvolvimento de uma sociedade moderna e democrática.

 

Uma política que fomenta o desemprego, que baixa salários e pensões, que encerra e privatiza serviços públicos, não conduz ao crescimento nem ao desenvolvimento económico e social de Portugal.

 

Ainda que existam compromissos financeiros internacionais que o SINTAP, em consonância com a maioria da população e das instituições portuguesas, considera que devem ser respeitados, o alcance dos objectivos por elas ditados não podem nunca sobrepor-se à satisfação dos mais elementares direitos dos cidadãos, como o são o direito ao trabalho, à saúde, à educação e à segurança social, e terão sempre que respeitar integralmente a Constituição da República Portuguesa.

 

Com a forte participação na Greve de hoje, os trabalhadores da Administração Pública enviam também um sinal a todos os cidadãos para que se juntem à sua luta na defesa do Estado de Direito, e um apelo aos partidos políticos com assento parlamentar para que, por intermédio do Orçamento do Estado actualmente em discussão, promovam uma inversão nas políticas governamentais e, desse modo, devolvam aos cidadãos portugueses a esperança de um futuro melhor.

 

O caminho até agora seguido não tem gerado os resultados pretendidos nem aponta objectivos claramente marcados no tempo e que façam acreditar que tantos sacrifícios valham ou valerão a pena.

 

Finalmente, o SINTAP não pode deixar de enviar uma especial saudação a todos os trabalhadores que, nestes tempos difíceis, prescindiram de um dia do seu salário para enviar uma mensagem clara de união e de convicção na luta pelos seus direitos e pelos direitos de cidadania de toda a população.

 

A luta dos trabalhadores da Administração Pública é uma luta de todos. Ter uma Administração Pública motivada e digna é um sinal claro de um Estado Social e de Direito saudável.

 

Lisboa, 8 de Novembro de 2013