Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A formiga no carreiro

A formiga no carreiro

16.Dez.13

Sindicatos pouco supreendidos com auditoria do Tribunal de Contas

Os sindicatos da Função Pública não ficam surpreendidos com as conclusões do Tribunal de Contas, que diz que o Governo ficou aquém dos objetivos para a redução da administração central.


A auditoria do Tribunal de Contas considera que os objetivos fixados pelo Governo em 2011 não passaram de um projeto de intenções com impacto reduzido.

O Governo propôs-se fazer uma redução de 40 por cento nas estruturas do Estado e cortar 27 por cento dos cargos dirigentes na administração central.

No entanto, o Tribunal de Contas (TdC) contrapõe outros números. Para a entidade liderada por Guilherme D'Oliveira Martins, a redução nas estruturas do Estado ficou-se pelos 19 por cento e a diminuição dos cargos dirigentes não passou dos 14%.

São dados que não surpreenderam os sindicatos da Função Pública.

Nobre dos Santos, dirigente da Federação Sindical da Administração Pública (FESAP), reafirma que o plano do Governo para a reforma do Estado não era o mais acertado e que devia ter sido seguida outra via para tornar o Estado mais eficiente.

Tambem o Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE), pela voz da dirigente Helena Rodrigues não fica surpreendida e considera que este é o resultado de um plano mal feito, muito distinto daquele que o STE teria levado por diante.