Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A formiga no carreiro

A formiga no carreiro

28.Set.16

Este foi o último mês de salários com corte na função pública


O processamento dos salários dos funcionários públicos de setembro já está concluído e foi a última vez que foram pagos ainda com corte.

Quando, no próximo dia 20 de outubro, os trabalhadores dos ministérios das Finanças, Segurança Social, Negócios Estrangeiros e Presidência do Conselho de Ministro, receberem o seu salário, o valor que lhes cairá na conta será semelhante ao de dezembro de 2010.

Cumprindo o calendário previsto e acordado com os partidos que lhe dão apoio político, o governo procederá em outubro à reversão integral do corte salarial que a partir de 2011 passou a ser aplicado às remunerações dos funcionários públicos que superassem os 1500 euros.

Este corte, que oscilava inicialmente entre os 3,5% e os 10%, começou a ser eliminado em 2015, tendo o anterior governo decidido devolver um quinto desta redução salarial. Já pela mão do executivo liderado por António Costa foi decidido reverter os 80% restantes ao longo de 2016, ao ritmo de 25% por trimestre.

Perante esta calendarização, setembro foi o último mês em que os salários ainda foram pagos com alguma redução. Resolvida esta questão do corte salarial, que foi alvo de forte contestação e esteve na origem de várias greves na função pública, as atenções dos sindicatos viram atenções para 2017 e para o conjunto de medidas que entendem que devem ser colocadas em cima da mesa.

Entre o caderno de reivindicações colocam o descongelamento das progressões nas carreiras e da atribuição de prémios, a reposição do regime de créditos (que está ligado à avaliação de desempenho), aumentos salariais e uma subida dos que estão no nível mais baixo da carreira remuneratória, para que não sejam prejudicados com os aumentos do salários mínimo nacional.

Fonte