Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A formiga no carreiro

A formiga no carreiro

12.Mai.21

Estudo de Avaliação de Riscos Psicossociais na Administração Pública

 Estudo de Avaliação de Riscos Psicossociais na Administração Pública

"Os riscos psicossociais constituem, actualmente, uma das maiores ameaças à Saúde Física e Mental dos trabalhadores, ao bom funcionamento e produtividades das organizações (sejam elas públicas ou privadas). Correspondem aos aspectos da organização e da gestão do trabalho, dos contextos sociais e ambientais relativos ao trabalho que têm potenciais efeitos negativos do ponto de vista psicossocial. (...)

Dentre estes riscos, em termos gerais, é possível enumerar o stresse ocupacional, o assédio (moral e sexual), a violência no trabalho, a síndrome de burnout, a adição ao trabalho, a fadiga e carga mental no trabalho, assim como o trabalho emocional. (...)

Actualmente, ganham particular relevância os riscos psicossociais associados à ausência de fronteiras entre o trabalho e o lazer, assim como a dificuldade em equilibrar a vida pessoal, familiar e profissional."

[Ordem dos Psicólogos Portugueses (2020)]. Prosperidade e Sustentabilidade das Organizações. Relatório do Custo do Stresse e dos Problemas de Saúde Psicológica no Trabalho, em Portugal. Lisboa)

Sendo esta uma realidade global, também a Administração Pública terá como desafios o reconhecimento do problema, a sua avaliação e, ainda, a decisão e identificação das estratégias e soluções para lidar com a realidade encontrada.

A DGAEP, em parceria com a Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP), está a realizar um Estudo de Avaliação de Riscos Psicossociais na Administração Pública Central, com a colaboração de 77 entidades parceiras, abrangendo as diferentes áreas governativas.

O objetivo global deste Estudo é ter uma perspetiva dos riscos psicossociais na Administração Pública e contribuir para a definição e implementação de políticas públicas que respondam aos riscos identificados e que promovam o bem-estar no trabalho.

Paralelamente, para cada entidade parceira, a participação neste Estudo resulta desde logo no compromisso do serviço com o bem estar dos seus trabalhadores, procurando conhecer de uma forma direta, ainda que anonimizada, os riscos psicossociais existentes na organização para melhor poder responder às necessidades de segurança, saúde e bem estar dos seus trabalhadores