Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A formiga no carreiro

A formiga no carreiro

18.Fev.14

Função pública perdeu 48.971 trabalhadores desde 2011

Dados mostram que todas as carreiras chegaram ao final do ano com menos pessoas. Apenas os diplomatas e os médicos aumentaram

 

O número de pessoas a trabalhar nas administrações públicas reduziu-se 48.971 entre dezembro de 2011 e o memso mês de 2013. Só no último ano perdeu 22.005 trabalhadores. Para esta quebra homóloga de 3,8% contribuíram todos os ministérios, registando-se igualmente uma diminuição de trabalhadores em todos os tipos de funções e carreiras. Apenas entre os diplomatas e os médicos se registou um pequeno aumento.

 

No final de 2013, trabalhavam nas administrações públicas (incluindo central, local e regional 563.595 pessoas. Em termos anuais este número traduz uma redução face ao universo contabilizado um ano antes, mas na comparação com o trimestre terminado em setembro observa-se uma subida de mais 4298 empregos.

Este acréscimo trimestral (de 0,8%) é explicado pelo movimento cíclico anual de novas contratações para os estabelecimentos dos vários graus de ensino, acabando por suavizar a queda anual.

De acordo com os dados sa Sintese Estatística do Emprego Público (SIEP), divulgada esta segunda-feira, todos os ministérios registaram uma redução de trabalhadores, que no total ascendeu a 22.005. Ainda assim a redução verificada de 2012 para 2013 evidencia alguma abrandamento por comparação com a quebra de quase 27 mil empregos observada um ano antes.

Na sua generalidade todas as carreiras da função pública perderam funcionários com exceção para a diplomática, onde o SIEP indica um aumento de mais 9 funcionários, para 362. Nos médicos verificou-se também uma subida contado-se agora mais 67 destes profissionais.

 

Contratos a prazo reduzem
O Governo não conseguiu em 2013 cumprir o objetivo, previsto no orçamento do Estado, de reduzir em 50% o número de contratos a prazo, mas os dados do SIEP mostram que o universo de pessoas com este tipo de vínculo precário encolheu 14%. No final de dezembro trabalhavam na função pública 63.273 pessoas com contrato a termo, contra 73.603 no final de 2012.

No orçamento de 2014, o Governo deixou cair aquela meta dos 50% de redução mas compromete-se a não renovar os contratos que vão chegando ao seu termo.