Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A formiga no carreiro

A formiga no carreiro

05.Jan.15

Função pública perdeu quase 80 mil trabalhadores desde 2011

Corte no pessoal foi o dobro do que previam as metas traçadas desde a chegada da troika. Mas a redução não vai ficar por aqui - as novas listas dos trabalhadores a requalificar já foram publicadas.

 

A meta acordada entre o governo e a troika, em maio de 2011, apontava para uma redução média de 2% do número de funcionários públicos. Mas, na realidade, a diminuição de trabalhadores no período mais agudo da crise foi praticamente o dobro dos objetivos traçados. Contas feitas, desde dezembro de 2011, já saíram da administração pública quase 80 mil pessoas.

 

No final do ano em que Portugal teve de recorrer à ajuda do FMI, do BCE e da Comissão Europeia, as administrações públicas (incluindo as empresas públicas e as entidades públicas empresariais reclassifi-cadas e que passaram a integrar as contas públicas) contavam com 726 764 trabalhadores; um ano depois, o número tinha recuado para 699 185, uma quebra de 3,9% e quase o dobro da meta fixada.