Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A formiga no carreiro

A formiga no carreiro

12.Jan.21

Salários dos funcionários públicos perdem até 9,6% desde 2010

Este ano só os salários mais baixos irão subir. Mas mesmo esses perderam poder de compra nos últimos 11 anos. Funções mais qualificadas têm maiores perdas, dificultando a atração de talento para a Administração Pública

Com a pandemia a devastar a economia e as finanças públicas, caiu por terra a promessa do Governo, que tinha ficado inscrita no Orçamento do Estado de 2020, de aumentar o salário de todos os funcionários públicos em, pelos menos, 1% em 2021. Afinal, só as remunerações mais baixas irão subir, refletindo o aumento do salário mínimo nacional para os €665. É esse o novo valor da base remuneratória na Administração Pública, que em 2020 estava nos €645,07. Além disso, o Governo dá mais €10 por mês para quem ganha até €791,91. Mas nem assim os salários mais baixos na Função Pública vão recuperar a perda de poder de compra resultante de anos de congelamento desde 2010, só interrompido em 2020. E nos salários mais elevados, associados a funções mais qualificadas, essa perda é ainda mais expressiva.

Os cálculos do Expresso indicam que, em termos reais (considerando o impacto da inflação para analisar a evolução do poder de compra), mesmo com o aumento deste ano a somar ao registado em 2020, as remunerações mais baixas vão ficar 5,6% abaixo do patamar de 2010. Já para quem ganhava até €791,91, e que por isso terá mais €10 mensais, a perda chega aos 8,5%. Traduzido em euros, a perda para os trabalhadores com salários mais baixos oscila entre €40 e €74.

Fonte Expresso