Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A formiga no carreiro

A formiga no carreiro

03.Fev.17

Trabalhadores demonstram descontentamento encerrando centenas de escolas

Greve do pessoal não docente

 

Os trabalhadores não docentes dos estabelecimentos de ensino público deram hoje uma demonstração inequívoca do seu descontentamento face à crescente degradação das condições em que desempenham as suas funções através de um enorme adesão à Greve Nacional convocada pelo SINTAP, que, em unidade na ação com outros sindicatos do setor, alcançaram uma das maiores mobilizações alguma vez verificada.

 

Estes trabalhadores, que contactam diariamente com as nossas crianças, com os nossos jovens, respetivos pais e encarregados de educação, são muitas vezes os rostos mais visíveis das escolas, com funções cuja importância é tantas vezes descurada, e exigem, nesta jornada de luta, que o Governo dê passos decisivos para a negociação de carreiras dignas, considerando a especificidade das funções que desempenham.

 

Largas centenas de escolas estão por isso hoje encerradas, numa luta em que foi sentido o apoio e a compreensão, não só dos pais e encarregados de educação dos alunos, como também dos docentes, uma vez que todos queremos ver resolvidos os problemas que hoje afetam os trabalhadores não docentes, defendendo dessa forma a qualidade do ensino público, as nossas crianças e os nossos jovens.

 

Os trabalhadores exigem que o Governo resolva, desde já, os problemas relacionados com a escassez de recursos humanos generalizada, com a necessidade de proceder à integração dos milhares de trabalhadores precários e com o descongelamento e a negociação de carreiras dignas.

 

A LUTA DOS TRABALHADORES NÃO DOCENTES É JUSTA!

PELA DIGNIFICAÇÃO DAS CARREIRAS!

PELA DEFESA DA EDUCAÇÃO PÚBLICA DE QUALIDADE!

 

 

Lisboa, 03 de fevereiro de 2017