Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A formiga no carreiro

A formiga no carreiro

05.Dez.14

Trabalhadores determinados excedem expetativas de adesão à Greve

Petição entregue na Assembleia da República

 

A Greve convocada para esta quinta-feira, 4 de dezembro, no Instituto da Segurança Social, I.P. (ISS), superou as expetativas iniciais do SINTAP, tendo-se verificado uma grande adesão por parte dos trabalhadores e trabalhadoras do Instituto, confirmada pelo encerramento de serviços e pelas grandes dificuldades de funcionamento dos que se mantiveram abertos.

 

Esta Greve, que resultou numa grande demonstração de unidade dos trabalhadores e trabalhadoras do ISS e de solidariedade por parte dos cidadãos em geral, foi convocada para combater a pretensão do Governo de colocar 697 trabalhadores e trabalhadoras em regime de requalificação/mobilidade especial, para defender a Segurança Social Pública e para impedir a privatização de serviços essenciais para as populações.

 

O SINTAP, os trabalhadores e trabalhadoras do ISS, demonstraram nesta jornada de luta que não aceitarão que estas sejam as primeiras vítimas de um processo mais amplo que o Governo pretende operar em toda a Administração Pública e que visa, tão somente, a redução, pura e simples, de cerca de 12 mil postos de trabalho, sem quaisquer outras preocupações que não sejam as estritamente economicistas.

 

O clima de medo, de grande incerteza e insegurança gerado por esta inaceitável ofensiva do Governo, pode ter sido determinante para que alguns trabalhadores e trabalhadoras tenham optado por não fazer Greve, mas não os impediu de manifestarem, de outras formas, o seu total apoio a uma luta que é de todos, como aliás o SINTAP pôde confirmar nos plenários, concentrações, vigílias e recolhas de assinaturas que desenvolveu ao longo das últimas semanas.

 

Assembleia da República terá de discutir reestruturação do ISS em reunião plenária

Também esta quinta-feira, uma delegação do SINTAP, acompanhada de algumas trabalhadoras do ISS, entregou à Presidente da Assembleia da República a petição pública que promoveu tendo em vista a recolha das 4 mil assinaturas legalmente exigíveis para levar a reunião plenária o processo desencadeado pelo Governo, iniciativa esta que ultrapassou largamente essa imposição legal.

 

Depois de entregar a petição, as trabalhadoras e a delegação do SINTAP foram recebidos por deputados de todos os grupos parlamentares, a quem transmitiram as suas preocupações e procuraram sensibilizaram para a necessidade de reversão de todo este processo.

 

Desses encontros resultou o agendamento, por parte do Grupo Parlamentar do Partido Socialista, de uma audição pública aos sindicatos, aos trabalhadores e às trabalhadoras, que terá lugar no próximo dia 9 de dezembro, incidindo sobre o processo de racionalização de efetivos desenvolvido pelo Instituto de Segurança Social e sobre a imperatividade da manutenção da Segurança Social Pública.

 

 

Lisboa, 5 de dezembro de 2014