Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A formiga no carreiro

A formiga no carreiro

07.Jan.15

Trabalhadores esperam ter condições para assistir à audição

Mota Soares e CD do ISS serão ouvidos no Parlamento a 13 de janeiro

 

O Ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social, Pedro Mota Soares, bem como elementos do Conselho Diretivo do Instituto da Segurança Social, IP (ISS), serão ouvidos no Parlamento, no próximo dia 13 de janeiro, na Comissão de Trabalho e Segurança Social, para dar explicações aos deputados acerca do injustificado processo de reorganização e racionalização de serviços em curso no Instituto e através do qual o Governo pretende despedir 697 trabalhadores e trabalhadoras.

 

Dirigentes do SINTAP e um conjunto de trabalhadores e trabalhadoras do ISS vão deslocar-se à Assembleia da República com o intuito de assistir à audição, esperando por isso que sejam criadas todas as condições para que o possam fazer, já que a mesma terá lugar na Casa da Democracia.

 

A audição de Mota Soares e dos membros do CD do ISS dá-se numa altura em que já foram publicadas as listas nominais dos trabalhadores e trabalhadoras que o Governo pretende colocar no regime de requalificação/despedir, mantendo-se no entanto a esperança de que a ausência de critérios objetivos e de fundamentação que suportem todo este processo, conjugada com a notória falta de pessoal que se faz sentir nos serviços da Segurança Social possam resultar num recuo por parte do Governo.

 

Até hoje, nem o Governo nem o Conselho Diretivo do ISS conseguiram ainda justificar a razão de ser deste procedimento de racionalização de efetivos, havendo apenas a certeza de que todos os trabalhadores e trabalhadoras em causa têm funções essenciais para o bom funcionamento dos serviços da Segurança Social.

 

Tendo em conta a forma como tem sido conduzido, o volume de trabalhadores e trabalhadoras envolvido, bem como a sensibilidade das áreas da Segurança Social onde estes desenvolvem a sua atividade, a decisão mais acertada seria a imediata extinção do processo.

 

 

Lisboa, 7 de janeiro de 2015